Pesquisar
Imprimir
Procura de revendedor
load google maps

Massas

As massas são constituídas por um óleo de base ligado por um espessante (sabão). Desta forma o lubrificante é mantido no ponto de lubrificação, onde zela por uma proteção duradoura eficaz contra fricção e desgaste, vedando o ponto de lubrificação contra influências externas como a humidade e matérias estranhas.

Quando, por motivos construtivos, não é possível efetuar a lubrificação a óleo ou uma função de refrigeração não é necessária, na maior parte das vezes, é utilizada uma massa de lubrificação. As massas são constituídas por um óleo de base ligado por um espessante (sabão). Desta forma o lubrificante é mantido no ponto de lubrificação, onde zela por uma proteção duradoura eficaz contra fricção e desgaste, vedando o ponto de lubrificação contra influências externas como a humidade e matérias estranhas. As massas são utilizadas frequentemente em chumaceiras de rolamento e de deslizamento, fusos, guarnições, vedações, guias e ainda correntes e engrenagens.

Características de massas

Características Norma Descrição
Viscosidade do óleo de base DIN 51561 Influencia a gama de velocidades e a capacidade de carga de uma massa
Ponto de gota DIN ISO 2176 Se esta temperatura for excedida, a estrutura da massa é destruída
Temperatura de utilização    DIN 51805
DIN 51821/2
(Chumaceiras de rolamento)
Margem de temperatura de desempenho ótimo
Valor característico de velocidade
(Valor DN)

 

 

Velocidade de rotação máxima até à qual uma massa pode ser utilizada numa chumaceira de rolamento
Consistência DIN ISO 2137 Medida da resistência mecânica de uma massa
Classe NLGI DIN 51818 Divisão em classes de consistência
Ensaio de máquina de quatro esferas DIN 51350 Determinação da proteção contra desgaste e da capacidade de carga máxima de uma massa

Estrutura das massas

A principal diferença entra a estrutura das massas e dos óleos é o espessante, que determina as características típicas de desempenho de uma massa. As massas de lubrificação modernas estão formuladas de modo a que, no caso de solicitações críticas, as suas substâncias ativas criem uma película lubrificante de funcionamento de emergência, garantindo assim a segurança de funcionamento.

 Espessante (sabão)

Temperatura de utilização [°C]
Óleo mineral

Temperatura de utilização [°C]
Óleo sintético
Ponto de gota [°C] Resistência à água Capacidade de carga 
 Cálcio -30 -> +50  não indicado  <100

++

 Lítio -35 -> +120 -60 -> +160  170/200

+

-

 Complexo de Al -30 -> +140 -60 -> +160  >230

+

-

 Complexo de Ba -25 -> +140 -60 -> +160  >220

++

++ 

 Complexo de Ca -30 -> +140 -60 -> +160  >190

++

++

 Complexo de Li -40 -> +140 -60 -> +160 >220

+

-

 Bentonite -40 -> +140 -60 -> +180  sem

+

-

 Poliureia -30 -> +160 -40 -> +160  250

+

-

Compatibilidade das massas

Além da compatibilidade dos óleos de base, ao substituir as massas, é necessário ter em atenção a miscibilidade dos espessantes. Uma incompatibilidade produz uma influência negativa na eficiência da massa de lubrificação.

  Sabão Ca SabãoxCa Sabão Li SabãoxLi Li / Ca
Sabão
Sabão Na Bentonite SabãoxBa SabãoxAl Poliureia
Sabão Ca    
SabãoxCa    
Sabão Li    
SabãoxLi      
Sabão Li/Ca    
Sabão Na            
Bentonite    
SabãoxBa  ■
SabãoxAl            
Poliureia  

■ miscível

Massas para lubrificação de longa duração em condições de serviço críticas

Consistência de massas de lubrificação

No caso de massas de lubrificação, a consistência é o parâmetro que indica a solidez de uma massa. Conforme a norma DIN ISO 2137, é medida a partir da profundidade de penetração de uma esfera normalizada.

Classificação de gorduras conforme NLGI

A classificação conforme NLGI (DIN 51 818) vai de muito mole (classe 000) a muito dura (classe 6).
Massas de lubrificação padrão correspondem geralmente a NLGI classe 2.

Classe NLGI Penetrabilidade trabalhada
[mm /10]
Lubrificação de engrenagens Chumaceiras de deslizamento Chumaceiras de rolamento Bombas de água Bloco de massas
000 445 – 475        
00 400 – 430        
0 355 – 385        
1 310 – 340    
2 265 – 295      
3 220 – 250      
4 175 – 205      
5 130 – 160        
6  85 – 115
Penetrabilidade não trabalhada
         ■

Designação e classificação de massas lubrificantes de acordo com a DIN 51 502

Devido às diversas aplicações e diferentes composições, as
massas de lubrificação são divididas e descritas em conformidade com a DIN 51 502 de acordo com vários aspetos, tais como tipo de massa, usabilidade,
classes de consistência (NLGI) e temperaturas de funcionamento.

  • Contacto

    OKS Spezialschmierstoffe GmbH

    Ganghoferstr. 47
    82216 Maisach
    Germany

    • +49 (0) 8142 3051 - 500
    • +49 (0) 8142 3051 - 599
  • Combinar chamada de resposta

  • Catálogo geral

    Catálogo geral

    Gama de produtos completa OKS
    Noções básicas de tipos de lubrificantes e tribologia.

    Download